Seja por necessidade ou desejo, nós compramos. Quando se trata de coisas pessoais, muito do que compramos é pela beleza da peça ou objeto. O que te motiva a comprar?

Vários armários que encontramos estão recheados de opções, mas mesmo assim a pessoa sente que nunca tem roupa. São armários muitas vezes lotados, que não conseguimos visualizar as peças (o que faz a pessoa nem lembrar o que tem), peças praticamente iguais, poucas peças básicas, muita estampa, poucos acessórios, poucas peças neutras que se coordenem entre si e ausência do estilo pessoal.

A raiz da questão está na nossa compra. Quando compramos pelo belo, pelo visual, pelo que nos encantamos, não necessariamente estamos comprando o funcional. É muito mais “prazeroso” comprar uma saia linda e cheia de detalhes do que uma blusa básica neutra. Mas é a blusa básica neutra que vai te permitir mais combinações no armário.

Por isso mostramos às nossas clientes como fazer esta compra funcional e ter um novo olhar com o que elas já têm e o que virão a comprar. Parece difícil mas é uma questão de planejamento e autoconhecimento. Quanto mais nos conhecemos e nos entendemos conseguimos enxergar de forma fácil o que funciona melhor em nós para se planejar e comprar.

Algumas dicas práticas que encontramos no livro: 101 dicas de uma personal shopper da top Consultora de Estilo Juliana Burlamaqui.

– Dica principal: não saia para fazer compras sem um checklist! Estipule um orçamento que esteja disposta a gastar.

– Se você tem um bom relacionamento na loja que está comprando, peça para experimentar em casa, assim você consegue combinar com outras peças do seu armário e saber se o investimento vale!

– Se no provador você não se encantou pela peça, não leve!

– Não compre uma coisa para usar apenas com outra, as peças precisam interagir. (o ideal é que a compra combine com outras cinco peças no seu armário).

– Não compre uma roupa nova para cada evento. Assim você só terá aquelas opções. Cadê a versatilidade das peças?

– Essa é intrigante: cuidado com a opinião das amigas no shopping. Não é que elas não sejam verdadeiras, mas até por gostarem tanto da gente, tem emoção envolvida e elas podem não falar se a peça não nos favorecer para não magoar já que estamos gostando tanto!

– Não compre uma peça apertada achando que vai emagrecer, emagreça primeiro.

Espero que goste das dicas!

Um abraço,

Natália Cosate